A contribuição dos tribunais de contas para a redução das desigualdades de gênero

Caminhos possíveis

Autores

  • Marcela de Oliveira Timóteo Tribunal de Contas da União

Palavras-chave:

Tribunais de contas, Igualdade de gênero, Transversalização de gênero

Resumo

Dados demográficos apontam que a desigualdade social, econômica e política entre os gêneros é uma realidade no Brasil. As instituições governamentais possuem o dever de enfrentar essas desigualdades por meio da promoção de políticas públicas adequadas. Os tribunais de contas, por sua vez, precisam acompanhar e avaliar a atuação estatal no enfrentamento às desigualdades de gênero. Nesse contexto, o presente trabalho busca explorar possibilidades de incorporação e/ou fortalecimento de uma postura sensível a gênero pelos tribunais de contas brasileiros. O artigo traz um histórico das iniciativas realizadas na última década no âmbito das instituições de fiscalização superior da América Latina e aborda o conceito de transversalização da perspectiva de gênero para melhor contextualização da temática. São apresentados dois caminhos possíveis para a atuação dos tribunais de contas na redução das desigualdades de gênero: a liderança pelo exemplo e a integração da perspectiva de gênero nas fiscalizações. 

Biografia do Autor

Marcela de Oliveira Timóteo, Tribunal de Contas da União

Graduada em Administração Pública pela Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho da Fundação João Pinheiro (EG/FJP), pós-graduanda em Direitos Humanos, Responsabilidade Social
e Cidadania Global pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Auditora
Federal de Controle Externo do Tribunal de Contas da União.

Referências

ALFAIX, Alexandre. TCE-GO propõe aperfeiçoamento no combate à violência contra a mulher. TCE-GO, Goiânia, 2 out. 2019. Disponível em: https://portal.tce.go.gov.br/-/tce-go-propoe-aperfeicoamento-no-combate-a-violencia-contra-a-mulher. Acesso em: 30 maio 2022.

BARROS, Marcelo. O papel do TCU na implementação da Agenda 2030 dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Revista do Tribunal de Contas da União, n. 136, maio-ago. 2016.

BRASIL. Relatório Nacional de Revisão do Estado Brasileiro da implementação da Declaração e Plataforma de Ação de Pequim. [S.l.], 2019.

BRASIL. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Instrumentos Internacionais de Direitos das Mulheres. Brasília, 2006.

BRASIL. Secretaria Federal de Orçamento. A mulher no orçamento 2021. Brasília: SOF/Ministério da Economia, 2021. Disponível em: 1 jan. 2022.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Boletim do Tribunal de Contas da União, ano 37, n. 24, 2018.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Oportunidades para o fortalecimento da parceria do TCU com a sociedade: Tribunal de Contas da União. Brasília: TCU, Secretaria--Geral de Controle Externo, 2018.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE MUNICÍPIOS. Pesquisa CNM: Covid-19. 21. ed. Brasília: CNM, 2021. Disponível em: https://www.cnm.org.br/cms/biblioteca/Relatório_pesquisa_Relampago_Ed_21.pdf. Acesso em: 11 fev. 2021.

COSTA, Ana Alice; SARDENBERG, Cecília, M. B. A transversalização de gênero e raça no Plano Nacional de Qualificação: análise crítica e diretrizes. Ser Social, Brasília, v. 10, n.23, p. 101-138, jul.-dez. 2008.

DA COSTA, Marli M. M; PORTO, Rosane Carvalho T. A transversalidade das políticas públicas de gênero: um caminho para efetivação dos direitos sociais da mulher. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE DIREITO: DIMENSÕES MATERIAIS E EFECÁCIAS DOS DIREITOS FINDAMENTAIS, 2, 2012. Anais [...]. Chapecó: Unoesc, 2012, pp. 455-468.

DANTAS, Bruno; PEREIRA, Ana Paula Sampaio Silva. Liderança feminina: mulheres que constroem o Tribunal de Contas da União. Revista Jurídica da Presidência, Brasília, 2021, v. 23, n. 130, pp. 415-438, jun./set. 2021. http://dx.doi.org/10.20499/2236-3645.RJP2021v23e130-2597.

ENTIDAD DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA IGUALDAD DE GÉNERO Y EL EMPODERAMIENTO DE LAS MUJERES; ORGANIZAÇÃO LATINOAMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES. Memorando de Entendimiento entre la Entidad de las Naciones Unidas para la Igualdad de Género y el Empoderamiento de las Mujeres y la Organización Latinoamericana y del Caribe de Entidades Fiscalizadoras Superiores, 2013.

ENTIDADE DAS NAÇÕES UNIDAS PARA A IGUALDADE DE GÊNERO E O EMPODERAMENTO DAS MULHERES; IDEA INTERNACIONAL; PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. BRASIL: Onde está o compromisso com as mulheres? Um longo caminho para se chegar à paridade. [S.l.] [S.d.].

FRANCE, Guilherme. Qual a relação entre desigualdade de gênero e corrupção? Nexo, 2021. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/2021/Qual-a-rela%C3%A7%C3%A3o-entre-desigualdade-de-g%C3%AAnero-e-corrup%-C3%A7%C3%A3o Acesso em: 23 jan. 2022.

GENDER Count: how can supreme audit institutions contribute to accounting for gender equality? Publicado por: INTOSAI Development Initiative. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=RpZXjnONQ98. Acesso em: 23 jan. 2022.

INTERNATIONAL ORGANIZATION OF SUPREME AUDIT. El Valor y Benefícios de las Entidades Fiscalizadoras Superiores: marcando la diferencia en la vida de los ciudadanos. Oslo: INTOSAI, 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. ISBN 978-85-240-4513-4.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Estatísticas de gênero: Indicadores sociais das mulheres no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: IBGE, 2021. ISBN 978-65-87201-51-1.

INTERNATIONAL ORGANIZATION OF SUPREME AUDIT DEVELOPMENT INITIATIVE. IDI Gender Policy. Oslo: INTOSAI, 2021b. Disponível em: https://www.idi.no/elibrary/idi-administrative/policies/1222-idi-gender-policy-2021/file. Acesso em: 7 fev. 2022.

INTERNATIONAL ORGANIZATION OF SUPREME AUDIT DEVELOPMENT INITIATIVE. IDI Gender Strategy. Oslo: INTOSAI, 2021a. Disponível em: https://www.idi.no/elibrary/idi-plans/strategic-plans/1120-idi-gender-strategy/file. Acesso em: 7 fev.

INTERNATIONAL ORGANIZATION OF SUPREME AUDIT DEVELOPMENT INITIATIVE. GLOBAL SAI Stocktaking Report 2020. Oslo: INTOSAI, 2021. ISBN 978-82-303-5211-3. Disponível em: https://www.idi.no/elibrary/global-sai-stocktakingreports-and-research/2020-global-sai-stocktaking/1364-idi-global-sai-stocktaking-report-2020/file. Acesso em: 11 fev. 2022.

MINAS GERAIS. Tribunal de Contas do Estado. Auditoria Operacional no, 1098287. Prefeitura Municipal. Violência Familiar e Doméstica Contra a Mulher. Ações Municipais para o Enfrentamento. Determinações e Recomendações. Fixação de Prazo para Envio de Plano de Ação. Belo Horizonte, MG: Plenário Governador Milton Campos, 12 ago. 2021. Disponível em: https://www.tce.mg.gov.br/IMG/2021/auditorias%20operacionais%20 2021/acordao%201098287.pdf. Acesso em: 22 fev. 2022.

NASSIF-PIRES, Luiza; CARDOSO, Luisa; OLIVEIRA, Ana Luíza Matos de. Gênero e raça em evidência durante a pandemia no Brasil: o impacto do Auxílio Emergencial na pobreza e extrema pobreza. Notas de política Econômica, São Paulo, 2021, n. 10, mar. 2021.

ORGANIZAÇÃO LATINO-AMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES. Declaración del Cusco – La EFES y la gobernanza pública: contribuyendo con el desarrollo humano sostenible. Cusco: OLACEFS, 2014. Disponível em: https://www.olacefs.com/wp-content/uploads/2014/11/Desarrollo-Humano-Sostenible.pdf. Acesso em: 11 fev. 2022.

ORGANIZAÇÃO LATINO-AMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES. Guía para la implementación de la Política sobre Igualdad de Género y No Discriminación de la Organización Latinoamericana y del Caribe de Entidades Fiscalizadoras Superiores. Santiago: OLACEFS, 2021.

ORGANIZAÇÃO LATINO-AMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES. Manual de auditorias coordenadas da Olacefs. Brasília: Tribunal de Contas da União (TCU), 2020.

ORGANIZAÇÃO LATINO-AMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES. Política sobre Igualdad de Género y No Discriminación. Santiago: OLACEFS, 2021.

ORGANIZAÇÃO LATINOAMERICANA E DO CARIBE DE ENTIDADES FISCALIZADORAS SUPERIORES; BANCO INTERAMERICANO DE DESARROLLO. Informe de Resultados: Encuesta de percepción situación de género al interior de las entidades de OLACEFS. [S.l.], c2019.

ORGANIZAÇÃO PARA A COPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Draft Recommendation of the Council on Gender Equality in Public Life. [S.l.], 2015.

ORGANIZAÇÃO PARA A COPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO. Entidades Fiscalizadoras Superiores e Boa Governança: Supervisão, Visão e Previsão. [S.l.]: OCDE, 2015.

SANTOS, Boaventura de Sousa. O futuro começa agora: da pandemia à utopia. Lisboa: Edições 70, 2020.

SECRETARIA-GERAL IBERO-AMERICANA. Guia para incorporação da perspectiva multicultural nos Programas, Iniciativas e Projetos Adstritos da Cooperação Ibero-Americana. Madrid: SEGIB, 2021. Disponível em: https://www.segib.org/wp-content/uploads/AF-GUIA-GENERO-2021-PT.pdf. Acesso em: 15 dez. 2022.

UNITED NATIONS EDUCATIONAL. Declaración de Santo Domingo. Santo Domingo: UNESCO, 1999.

VIENA. Gender mainstreaming – made easy: A manual. Viena: MD-OS, 2021. Disponível em: https://www.wien.gv.at/english/administration/gendermainstreaming/principles/manual.html Acesso em 12/02/2022.

WHAT is gender mainstreaming. EIGE, 2022. Disponível em: https://eige.europa.eu/gender-mainstreaming/what-is-gender-mainstreaming. Acesso em: 20 dez. 2021.

WOMENS’S RIGHTS AND GENDER SECTION RULE OF LAW, QUALITY AND NON-DISCRIMINATION BRANCH RESEACH AND RIGHT TO DEVELOPMENTE DIVISION. Gender Equality. Turin: International Training Centre of the ILO, 2013. Disponível em: https://www.ohchr.org/Documents/Issues/Women/WRGS/genderequalitypolicy_september2011.pdf. Acesso em: 12 fev. 2022.

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Gender Gap Report 2021: Insight Report – March 2021. Geneva: [S.n.], 2021. ISBN-13: 978-2-940631-07-0. Disponível em: https://www3.weforum.org/docs/WEF_GGGR_2021.pdf. Acesso em: 8 fev. 2022.

Downloads

Publicado

27/06/2022

Como Citar

de Oliveira Timóteo, M. (2022). A contribuição dos tribunais de contas para a redução das desigualdades de gênero: Caminhos possíveis. Revista Simetria Do Tribunal De Contas Do Município De São Paulo, 1(9), 141–163. Recuperado de https://revista.tcm.sp.gov.br/simetria/article/view/113

Edição

Seção

Caderno Especial: Redução das desigualdades - ODS 10