Avaliando desigualdade por meio da auditoria operacional

Um estudo de caso na área da educação sob a ótica da equidade

Autores

  • Luiz Gilberto Monclaro Mury Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Auditoria operacional, Tribunal de Contas, Ensino fundamental, Equidade

Resumo

Este artigo objetiva avaliar se existe desigualdade entre escolas da rede municipal de ensino de quatro cidades do Rio Grande do Sul, selecionadas por meio da técnica de clusterização. Com foco no princípio da equidade, foram comparados dados da adequação da formação dos docentes do ensino fundamental, do censo escolar e do nível de aprendizado com base nas notas da Prova Brasil de 2019. A pesquisa demonstrou que existem oportunidades para redução de desigualdades, principalmente em alguns quesitos relacionados à infraestrutura escolar e à formação dos docentes da educação básica.

Biografia do Autor

Luiz Gilberto Monclaro Mury, Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul

Doutor em Estudos Estratégicos Internacionais pela UFRGS e auditor público externo do TCE/RS.

Referências

ARAÚJO, I. Introdução à auditoria operacional. 4. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008. 188p.

FARIA, E. M.; GUIMARÃES, R. Excelência com equidade: fatores escolares para o sucesso educacional em circunstâncias desfavoráveis. Estudos em avaliação educacional, São Paulo, v. 26, n. 61, pp. 192-215, 2015.

FRIO, G. et al. Eficiência na educação: uma análise por escola no Rio Grande do Sul utilizando o método DEA em dois estágios. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, v. 12, n. 1, pp. 74-89, 2018.

GOMES, M. Auditoria de desempenho governamental e o papel de Entidades Fiscalizadoras Superiores (EFS). Revista do Serviço Público, Brasília, ano 53, n. 2, abr.-jun. 2002.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Indicador de adequação da formação do docente da educação básica. Brasília: Ministério da Educação, 2014. Nota técnica no 020/2014.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: linha de base. Brasília, DF: Inep, 2015. 404p.

LACERDA, V.; PESSANHA, M.; MENEZES, F. Avaliação da eficiência e da eficácia da rede municipal de ensino fundamental de Porto Alegre. Porto Alegre: TCE/RS, 2016. QEDU. Portal de dados sobre educação. Disponível em: https://qedu.org.br.

TABANKA, O. et al. Uso da análise de clusters como ferramenta de apoio à gestão no SUS. Revista Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 24, n. 1, pp. 34-45, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v24n1/0104-1290-sausoc-24-1-0034.pdf.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO (TCU). Manual de auditoria operacional. 4. ed. Brasília: TCU, SEGECEX, 2020. 166p.

UNESCO. Manual para medição da equidade na educação. Paris: Unesco, 2019, 143p.

Downloads

Publicado

27/06/2022

Como Citar

Monclaro Mury, L. G. (2022). Avaliando desigualdade por meio da auditoria operacional: Um estudo de caso na área da educação sob a ótica da equidade. Revista Simetria Do Tribunal De Contas Do Município De São Paulo, 1(9), 164–179. Recuperado de https://revista.tcm.sp.gov.br/simetria/article/view/117

Edição

Seção

Caderno Especial: Redução das desigualdades - ODS 10